Querido Deus... Cartas da Esperanza

Imprimir

Autor: Mari Patxi Ayerra
Paginas: 200
Tradução: Margarida Gonçalves
Editora: Gráfica de Coimbra
ISBN: 978-972-603-397-4

Descrição:

Esperanza é uma mulher madura, a "Espe", e trabalha como empregada de limpeza de um hospital. É daquelas que, com o seu carro e esfregona, entram em todos os cantos e falam com toda a gente. Tem marido, filhos, netos, vizinhos e um bom número de amigos. Silenciosa e discreta como apenas ela sabe, consegue perceber tudo o que se passa à sua volta e tem a sabedoria que a vida dá a quem a vive intensamente e guarda momentos para contemplá-la. Todavia, tem um coração ao pé da boca... e ao pé dos pés e das mãos. Ou seja, não há nenhuma dor, angústia ou injustiça que não a ponha a denunciar, reflectir, sentir... e sentir cuidado, empatia e carinho.
A outra é Mari Patxi Ayerra e parece-se tanto com a "Espe" que acaba por fazer acreditar que existem clones humanos, Não trabalha em nenhum hospital, mas frequenta-os devido às suas maleitas e às maleitas de outras pessoas. Por necessidade e por solidariedade. Também tem uma "entranhável tribo familiar" e vizinhança... e um grande número de pessoas em situação de precariedade, social, psico-afectiva, relacional... a quem acompanha e ajuda apoiada na sua formação em psicologia, centrada particularmente nas relações humanas e no encontro salutar entre as pessoas. Dedica-se à arte e ao privilégio de cuidar. E nestas cartas, como que sem querer, oferece-nos um tratado sobre a humanização da saúde... e da vida.